Pesquise algo

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Reforma da previdência aprovada: e agora?



Na última semana foi concluída a aprovação pelo Senado da reforma da previdência. O principal efeito da reforma sobre o contribuinte é que ficou mais difícil se aposentar pelo RGPS ou pelo RPPS, pois serão necessários mais anos de contribuição e que seja atingida uma idade mínima maior do que a anterior.

Tomara que a reforma da previdência sirva para estimular nos indivíduos o plano de atingir FIRE, já que ao passar a contar menos com os benefícios previdenciários estatais, as pessoas deveriam tender a buscar alternativas privadas para garantir uma vida digna na velhice.

Aliás, eu imagino que considerável parte das pessoas que estão iniciando a vida no mercado de trabalho já nem contem mais com o recebimento de aposentadoria estatal. O que antes era visto como algo previsível, certo, atualmente é visto como uma incerteza futura. 

Quem não começar a traçar um planejamento de aposentadoria bem cedo terá uma complicada missão pela frente, e sem a garantia de vida digna para quando o trabalho não for mais possível. É preciso rumar o caminho da independência financeira o quanto antes.

Por isso, é fundamental que todos tenhamos um planejamento bem definido capaz de garantir renda suficiente para a manutenção de vida digna, a partir do momento em que decidirmos não mais trabalhar. A previdência privada pode ser uma alternativa de complemento de renda interessante para quem pretende se aposentar pelo RGPS ou pelo RPPS, mas para quem objetiva aposentar as chuteiras com uma idade menor, o plano FIRE é talvez a grande solução.

Como você vê o cenário da sua aposentadoria? Qual é o seu planejamento?

2 comentários:

  1. Com certeza torna-se agora inda mais necessário planejar e investir para o futuro. Os que estão começando hoje terão no minimo mais uma reforma da previdencia até se aposentarem ainda então estão espernando o que?

    PS: add ao roll
    AA40

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso, AA40. A realidade é dura, mas é a realidade. Não há outro caminho que não seja o de encará-la.

      Abraço.

      Excluir